quarta-feira, 2 de maio de 2012

Provas de amor?...

Ela acorda cedíssimo, desesperada pelo ressonar bem sonoro dele aos ouvidos dela, que não a deixam dormir bem.
Abana-o levemente, para ele mudar de posição. Ele não dá conta. Torna a abaná-lo para ver se ele pára de ressonar. Ele continua.
Não o quer acordar, afinal de contas, ele está constipado e não é culpa dele parecer que está a serrar uma floresta inteira.
Mas ela não consegue dormir.
Pondera pegar num edredon e ir dormir para a sala, para não o acordar e conseguir descansar. Mas a sala está fria, com ele está quentinho, apesar de barulhento... Deixa-se ficar, sem o acordar, apenas preocupada com a saúde dele e rabugenta de sono.

De manhã, levanta-se e arranja-se sem fazer barulho.
Está a tomar o pequeno almoço quando ele aparece, e conta-lhe que esteve quase para sair da cama, para não o acordar e conseguir dormir.

[Acham isto uma prova de amor? Ela mudar de cama para não o acordar e deixá-lo descansar?... Ou acham maior prova de amor a resposta dele, que vos digo já a seguir?...]

Ele abraça-a, terno e pesaroso pela má noite que lhe dera e diz:
"- Não, amor, quando for assim, acorda-me, acorda-me mesmo, e não saias da cama, por favor..."

:)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sopra no vento o que pensas, sentes ou sonhas... Que o vento trará até ao alto da minha árvore as tuas palavras...

Obrigada...