quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Diário das Minhas Maminhas - 16

Aos "não sei quantos" dias depois de ter descoberto que tinha um fibroadenoma "grande", mas benigno, venho contar-vos o resto da história... Um resumo, digamos assim. :)
Cerca de 7 meses depois, marquei novos exames para ver se havia alterações.
Fui ao Centro de Saúde, passaram-me as credenciais, e fiz os exames no mesmo laboratório, e pela mesma médica.
Não tinha havido alterações de maior, mas a opinião do médico do Centro de Saúde era a mesma que a minha: é grande, é para tirar antes que altere com uma eventual gravidez.
Passa o meu processo para o Hospital, e cerca de um mês depois, tenho uma consulta com o médico senologista.
Gostei muito daquele médico, que me passa mais uns exames (de sangue, ECG, raio-X), os quais consegui fazer no próprio dia.
Marcou-se uma consulta com o médico anestesiologista, e uma segunda com o médico senologista.
Passado cerca de quinze dias, marcaram-me o anestesiologista para o início do mês e o senologista para o fim do mês.
A consulta com o anestesiologista correu muito bem, e passado uns dias ligaram-me a desmarcar a consulta com o senologista, que estava doente.
Passado uns tempos, soube que a doença era séria e remarcaram-me para outro médico, que me atendeu e recebeu também muito bem.
Vistos os exames, fiquei marcada para cirurgia.

Algum tempo depois, a minha mãe liga-me a dizer que tinha recebido uma carta do Serviço Nacional de Saúde, em como eu seria atendida antes de... meados de Janeiro de 2013...
Fiquei absolutamente "esclarecida", para organizar a minha vida, as férias, etc, com aquela carta, como podem calcular.

No dia seguinte, recebo um telefonema do Hospital... A perguntarem se eu tinha disponibilidade para ser operada... dali a 8 dias.
Fiquei surpreendida, no mínimo, mas pedi esclarecimentos à senhora que me ligou, mencionando-lhe a carta recebida no dia anterior.

Disse que isso era um protocolo do SNS, que eu não me preocupasse e tornou a perguntar se eu tinha disponibilidade para a operação.
"Claro que sim!", respondi, e andei uma semana à lufa-lufa para deixar tudo organizado, até porque estava numa fase de excesso de trabalho e preocupações.

Oito dias depois, dei entrada no Hospital...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sopra no vento o que pensas, sentes ou sonhas... Que o vento trará até ao alto da minha árvore as tuas palavras...

Obrigada...