quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

O Primeiro Beijo

Quem não se lembra do Primeiro Beijo?...


18:00, Quarta-feira, 5 de Dezembro de 1990
Fim de tarde, nas escadas que levam para os campos do Liceu, quase às escuras na noite precoce e fria.


Eles conversam, abraçados. Ele agarra-a e toca-a na cintura, ansioso, desejoso, apaixonado.
Ela sente-se bem nos braços dele, aconchegada, confortável.
O toque dele é carinhoso e sedutor, e ela trava uma luta interior entre beijá-lo ou não.


Nunca beijou um rapaz, não daquela maneira que se beija nos filmes, e tem algum receio.
Receio que não o faça bem, receio que ele não goste, que ela não goste, que não seja aquele o rapaz certo para essa primeira experiência.
Receio que, ao dar-lhe um beijo, se perca, e se entregue completamente...
"Quem me levar um beijo, leva-me tudo...", pensa, e isso fá-la hesitar.


Ele está ali. Permanece ali, depois de meses a gostar dela, a querê-la, numa paixão que o consome sem saber porquê.
É paciente, com ela, e conquista-a com essa paciência e com os modos ternos com que lhe toca.


São tão novos, e julgam já saber tudo da Vida, do Amor, do Querer, do Sentir...
Ela já tem 15 anos, ele vai fazê-los em breve.

Tão novos, tão puros, tão inocentes...


Dentro dela, a hesitação e o receio travam luta contra o desejo e a curiosidade.


Ele é lindo, e os lábios são rosados, carnudos, bem desenhados, bonitos [os mais bonitos que já vira e que algum dia verá, apesar de não o saber na altura], e prometem beijos eternos e delícias...


Mas continua a hesitar, a travar a luta dentro dela.
Quer e não quer.
Pode, mas talvez não deva, talvez não deva....
"E porque não? Eu quero e ele também!...", exclama para consigo mesma, numa vitória derradeira sobre os receios e as hesitações.


E beija-O...
Entrega-se ao sabor do amor, da curiosidade, da procura, da vontade...
Entrega-se a Ele...
Perde-se Nele...




E toda a sua Vida mudou a partir daquele momento cristalino, belo, intenso e puro...
Daquele momento que nunca mais esqueceu... Nem esquecerá...


Quem não se lembra do Primeiro Beijo?...
Só quem nunca o teve...



Whenever I'm alone with you
You make me feel like I am home again
Whenever I'm alone with you
You make me feel like I am whole again
Whenever I'm alone with you
You make me feel like I am young again
Whenever I'm alone with you
You make me feel like I am fun again
However far away
I will always love you
However long I stay
I will always love you
Whatever words I say
I will always love you
I will always love you
Whenever I'm alone with you
You make me feel like I am free again
Whenever I'm alone with you
You make me feel like I am clean again
However far away
I will always love you
However long I stay
I will always love you
Whatever words I say
I will always love you
I will always love you

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Diário das Minhas Maminhas - 18

A recuperação
Passo uns dias meia enjoada da cabeça, e fiquei sem perceber se foi da anestesia ou do cansaço que já tinha antes da operação.
Quando mudo o penso, faço uma reacção alérgica aos adesivos (teoricamente hipoalergénicos...), o que não teve muita piada, confesso.
Acabo por ir às Urgências, e tive a sorte do meu médico estar lá nesse dia.
Viu-me, fez um pensinho novo com outro tipo de material, e fiquei a usar apenas o adesivo do soro, que a esse não faço reacção.
Os dias foram passando, e 8 dias depois, tirei os pontos.
Mais uns dias para a ferida sarar completamente, e fiquei com uma cicatriz pequena e rosada, em forma de lua, no peito.
Entretanto, sentia uma espécie de caroço no sítio do fibroadenoma e disseram-me para ir massajando com um creme, pois era uma fibrose resultante da operação.
O creme aconselhado tinha vaselina e parafina e sei lá mais o quê, e como eu ando "com a mania" que não quero produtos derivados do petróleo, usei apenas outros cremes hidratantes para massajar.
No entanto, essa fibrose demorava a desaparecer, tendo apenas desaparecido quando andei de mochila às costas, no Verão...
Em jeito de pequeno milagre...
Mas isso é outra história... ;)

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Diário das Minhas Maminhas - 17

A Operação

Pedem-me para estar cedo no Hospital, e eu assim faço, às 9.30, tendo apenas tomado um pequeno almoço às 7h, se bem me lembro.
Chego, tratam-se das papeladas, mostram-me o quarto e arrumo as minhas coisas.
Mandam-me tomar banho, e eu protestei porque já tinha tomado em casa, mas pronto, lá fui eu de novo ao banho.
Após o banho, vesti uma bata "sexy"... Que deixava ver o rabiosque se não tivesse cuidado. :P
 
Passado um bocadinho, enfiam-me uma agulha nas veias a deitar soro... O que achei interessante, pois sempre quis saber qual era a sensação de ser alimentada assim... [Giro para fazer uma vez por outra, um tédio se for obrigatório todos os dias... Logo eu que gosto de comer e saborear a comidinha e os petisquinhos e as gulodices...]
 
Ando ali a flautinar, acompanhada pelo meu Querido, o dia todo, até me chamarem para o bloco operatório, ao fim da tarde.
Lá vou eu, de boleia numa maca, sempre bem disposta e, sinceramente, nada nervosa.
 
Entretanto, fico numa ante-sala do bloco, e dão-me algo para "me acalmar"... Acalmou-me tanto que fiquei a dormir uma hora, pelo menos...lol
Acordo, e pergunto que horas são e se demoro a ser operada.
"Ainda falta um pouco", diz a enfermeira, "houve uma emergência e o bloco está ocupado".
 
Fico sossegadinha a ver as pessoas dum lado pro outro, até que me levam para o bloco: uma sala fria, cheia de luz, com o médico lá.
Gente bem-disposta, a trocarem umas piadas entre eles.
 
O anestesiologista coloca-me uma máscara e pergunto o que é, uma vez que pedira anestesia local e não geral.
Responde-me que era Oxigénio, o que duvidei, e pede-me para fazer uma contagem. Ao número 3, apaguei.
Quando acordei, estava no recobro. Bem disposta, sem dores, descansada, nem parecia que tinha sido operada.
Pedi para ir urinar, e disseram-me que tinha de ser com arrastadeira e que não podia andar de pé, o que não achei muita piada, mas sentei-me, para grande espanto delas, que olharam para mim como se fosse cair para o lado a qualquer momento.
Depois, fiquei um pouco a descansar, até me virem dizer que o meu Querido estava quase a partir tudo pois não sabia nada de mim desde que eu tinha saído de ao pé dele, o que tinha sido há já 4 horas (é natural, tinham-lhe dito que era coisa rápida, de 2 horitas no máximo, mas ele não sabia que eu tinha ficado a dormir a sesta antes da operação).
Ele veio para ao pé de mim e depois foram-me por ao quarto, onde estavam mais duas senhoras.
A noite foi serena, tirando acordar com fome e com vontade de ir urinar outra vez, eram umas 6 da manhã.
As enfermeiras de serviço deixaram-me ir à wc, com o carrinho de soro atrás, e ofereceram-me umas bolachas, para aguentar até ao pequeno-almoço.
Perto das 8, veio o pequeno-almoço, e depois fiquei a dormir mais um pouco.
Durante a manhã, tiraram-me o soro, o médico veio ver-me e tive alta.
 
A seguir, fiquei em recuperação...
 
Considero que fui muito bem recebida e atendida por todos, no Hospital, fossem as pessoas da parte administrativa, as auxiliares, as enfermeiras ou a equipe médica.
E sim, era um Hospital público, e só tenho a dizer bem de quem cuidou de mim.
[Só a parte de não terem dito nada ao meu Querido é que não correu muito bem...]
 
 

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Diário das Minhas Maminhas - 16

Aos "não sei quantos" dias depois de ter descoberto que tinha um fibroadenoma "grande", mas benigno, venho contar-vos o resto da história... Um resumo, digamos assim. :)
Cerca de 7 meses depois, marquei novos exames para ver se havia alterações.
Fui ao Centro de Saúde, passaram-me as credenciais, e fiz os exames no mesmo laboratório, e pela mesma médica.
Não tinha havido alterações de maior, mas a opinião do médico do Centro de Saúde era a mesma que a minha: é grande, é para tirar antes que altere com uma eventual gravidez.
Passa o meu processo para o Hospital, e cerca de um mês depois, tenho uma consulta com o médico senologista.
Gostei muito daquele médico, que me passa mais uns exames (de sangue, ECG, raio-X), os quais consegui fazer no próprio dia.
Marcou-se uma consulta com o médico anestesiologista, e uma segunda com o médico senologista.
Passado cerca de quinze dias, marcaram-me o anestesiologista para o início do mês e o senologista para o fim do mês.
A consulta com o anestesiologista correu muito bem, e passado uns dias ligaram-me a desmarcar a consulta com o senologista, que estava doente.
Passado uns tempos, soube que a doença era séria e remarcaram-me para outro médico, que me atendeu e recebeu também muito bem.
Vistos os exames, fiquei marcada para cirurgia.

Algum tempo depois, a minha mãe liga-me a dizer que tinha recebido uma carta do Serviço Nacional de Saúde, em como eu seria atendida antes de... meados de Janeiro de 2013...
Fiquei absolutamente "esclarecida", para organizar a minha vida, as férias, etc, com aquela carta, como podem calcular.

No dia seguinte, recebo um telefonema do Hospital... A perguntarem se eu tinha disponibilidade para ser operada... dali a 8 dias.
Fiquei surpreendida, no mínimo, mas pedi esclarecimentos à senhora que me ligou, mencionando-lhe a carta recebida no dia anterior.

Disse que isso era um protocolo do SNS, que eu não me preocupasse e tornou a perguntar se eu tinha disponibilidade para a operação.
"Claro que sim!", respondi, e andei uma semana à lufa-lufa para deixar tudo organizado, até porque estava numa fase de excesso de trabalho e preocupações.

Oito dias depois, dei entrada no Hospital...

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Novidades... :)

Meus caros visitantes, leitores e amigos,

Desde já, agradeço-vos a paciência e peço-vos desculpa pela minha ausência tanto dos meus próprios blogues como dos vossos.

A verdade é que os últimos 4 ou 5 meses foram recheados de tanta actividade, que não consegui por-vos a par de tudo.
Num resumo, que pretendo pormenorizar e partilhar convosco, aconteceram na minha vida:

- ter trabalho até enjoar (mesmo enjoadinha, que eu ando...)
- ter sido operada ao peito (ao caroço)
- ter ido de férias, e nelas ter ido a pé a Santiago de Compostela

e, por último, mas o mais importante de tudo...

Ter reencontrado e reatado namoro com o meu 1º namorado... O 1º Amor, costumava eu dizer... E ter descoberto que ele não foi o meu 1º Amor, simplesmente... Foi, e é, o meu Único Amor...

Mas, posteriormente, por-vos-ei a par disto tudo...

Para já, deixo-vos com um beijinho e a promessa de voltar! :)

Beijinho :)

terça-feira, 26 de junho de 2012

Há um certo cheiro a sexo...

... no ar...

É quente, masculino, viril, e mistura-se com outro cheiro mais doce, mais feminino, a mel...

O ar está carregado com esses odores, o calor quase os torna opressivos, as abelhas zumbem, atarefadas, e as pessoas sentem, quase inconscientemente, que algo diferente se passa...

É Verão...

Os Castanheiros e as Tílias estão em flor...

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Provas de amor?...

Ela acorda cedíssimo, desesperada pelo ressonar bem sonoro dele aos ouvidos dela, que não a deixam dormir bem.
Abana-o levemente, para ele mudar de posição. Ele não dá conta. Torna a abaná-lo para ver se ele pára de ressonar. Ele continua.
Não o quer acordar, afinal de contas, ele está constipado e não é culpa dele parecer que está a serrar uma floresta inteira.
Mas ela não consegue dormir.
Pondera pegar num edredon e ir dormir para a sala, para não o acordar e conseguir descansar. Mas a sala está fria, com ele está quentinho, apesar de barulhento... Deixa-se ficar, sem o acordar, apenas preocupada com a saúde dele e rabugenta de sono.

De manhã, levanta-se e arranja-se sem fazer barulho.
Está a tomar o pequeno almoço quando ele aparece, e conta-lhe que esteve quase para sair da cama, para não o acordar e conseguir dormir.

[Acham isto uma prova de amor? Ela mudar de cama para não o acordar e deixá-lo descansar?... Ou acham maior prova de amor a resposta dele, que vos digo já a seguir?...]

Ele abraça-a, terno e pesaroso pela má noite que lhe dera e diz:
"- Não, amor, quando for assim, acorda-me, acorda-me mesmo, e não saias da cama, por favor..."

:)

sábado, 24 de março de 2012

Cara linda

Ontem, chamaram-me "cara linda" tantas vezes, que até fiquei convencida que era verdade... :P


Bom Sábado! ;)

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Dança...

... comigo...

:)





Let's dance little stranger
Show me secret sins
Love can be like bondage
Seduce me once again

Burning like an angel
Who has heaven in reprieve
Burning like the voodoo man
With devils on his sleeve

Won't you dance with me
In my world of fantasy
Won't you dance with me
Ritual fertility

Like an apparition
You don't seem real at all
Like a premonition
Of curses on my soul

The way I want to love you
Well it could be against the law

I've seen you in a thousand minds
You've made the angels fall

Won't you dance with me
In my world of fantasy
Won't you dance with me
Ritual fertility

Come on little stranger
There's only one last dance
Soon the music's over
Let's give it one more chance

Won't you dance with me
In my world of fantasy
Won't you dance with me
Ritual fertility

Take a chance with me
In my world of fantasy
Won't you dance with me
Ritual fertility

domingo, 19 de fevereiro de 2012

What Life is For?...



WHAT LIFE IS FOR

A million stars up in the sky
We watch them live, we watch them die
Now who can tell how this will be?
Now are we fools when we believe?

So listen

I never felt like this before
And I feel no guilt for wanting more
I’ll take all my chances here with you
And I can tell you feel it too


So let’s not hide it, I won’t hide it anymore
Who knows what life is for?

So take my hand
We’ll make this happen
It’s real, I’m in love with you

And then you stepped out of my screen
I’m awake inside my dream
Tears roll backwards to the light
A rush of love, I feel alive

So listen

I’m in the back waiting for you
And I can tell you feel it too
So let’s not hide it, I won’t hide it anymore
Who knows what life is for?

So take my hand
We’ll make this happen

It’s real, I’m in love with you

A million stars up in the sky
Now can you tell me which one am I?

I never felt like this before
And my heart keeps wanting more

Then let’s not hide it, I won’t hide it anymore
Who knows what life is for?

So take my hand
We’ll make this happen
It’s real, I’m in love with you

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Jurei...

... ser Eu...
O Teu Luar...
Brilhar, só Eu...
No Teu Olhar...



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

:)









domingo, 12 de fevereiro de 2012

Um Momento...

... Pode fazer toda a diferença...




R.I.P. Whitney Houston...

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Bolinhos de Côco

Mais uma receita de "família"...

Super simples de fazer e, na minha opinião, são os melhores bolinhos de côco que conheço...

Só são precisas forminhas de papel Nº5, 200 gr de côco ralado, 200 gr de açúcar (amarelo ou branco), e 3 ovos grandes ou 4 ovos médios, para não ficar mole demais.

Mistura-se muito bem o côco com o açúcar e os ovos inteiros.
Coloca-se nas forminhas de papel e leva-se ao forno até cozerem e ficarem douradinhos.

Simples e eficaz e rende cerca de 30 bolinhos. :)

domingo, 29 de janeiro de 2012

Pudim de Abacaxi

Esta é uma receita "de família", que consumimos desde que me conheço como gente., e ideal para o tempo mais quente.

Partilho-a convosco, hoje, porque é uma forma de a ter "eternizada" e dando-vos a garantia de que é... Deliciosa! :)

O seu aspecto invulgar deve-se à gelatina vermelha, mas quem entender, pode usar gelatina branca, e o pudim fica com uma cor amarela clara.

A receita é simples:
1 Abacaxi de 1,25 kg
1 chávena de açúcar branco
Meia chávena de água
6 folhas de gelatina branca
2 folhas de gelatina vermelha
8 claras
8 colheres de sopa de açúcar branco

Nota: pode-se substituir o abacaxi por uma lata grande de ananás em calda e as folhas de gelatina podem ser todas da mesma cor.

Coze-se o abacaxi arranjado e aos pedaços, com a chávena de açúcar e a meia chávena de água.
Deixa-se arrefecer um pouco e misturam-se as folhas de gelatina previamente demolhadas num pouco de água, até derreterem (se for com o ananás ainda muito quente, as gelatinas coloridas perdem a cor).
Deixa-se arrefecer completamente e mistura-se, devagar, as claras, previamente batidas em castelo com as 8 colheres de açúcar.
Verte-se para uma forma de pudim (não há necessidade de barrar) e leva-se ao congelador.
No dia seguinte, tira-se do congelador cerca de 2h antes de servir.




Com as gemas sobrantes, podem-se fazer "ovos moles": uma colher de açúcar e uma colher de água por cada gema.
Leva-se a água com o açúcar ao lume, até reduzir para metade, e juntam-se as gemas batidas, em fio.
Mistura-se bem, não deixando fazer grumos, até as gemas cozerem.
(Se fizer grumos... Passa-se com a varinha mágica! :P )

Podem-se usar os ovos moles para enfeitar o pudim...




Cá em casa... Adoramos! :)

sábado, 28 de janeiro de 2012

:)

Hoje, não posso estar contigo a partilhar este dia...

Mas como sempre, estás dentro do meu coração, e assim partilhamos o dia... :)

Hoje, não consegui entregar-te um miminho...
Tinha a intenção de... Mas tu sabes que hoje, não deu, e fiquei apenas com a intenção...

Hoje, fazes anos...
E por isso, colhi estas flores (na net) e dou-tas com mimo, com o desejo de muitos mais anos cheios de saúde e alegrias, de crescimento, de abundância de coisas boas...


Parabéns, garota :)


sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O 560 e a Marca

Na sequência dos textos "Compro o que é Nosso", neste blog, venho simplesmente mandar uns bitaites (ou eventualmente, fornecer alguma informação útil), acerca da questão do Código de Barras que começa em "560".

Como temos visto nos emails que nos vão mandando acerca de comprar o que é nosso, vai-se lembrando que o que é nosso, tem um código de barras a começar por 560.

Tal informação é... Errada? Certa?
Eu diria: INCOMPLETA.

De facto, o Código de Barras 560..., refere-se ao embalamento, e não à produção propriamente dita.

O que não deixa de ter o seu valor, pois o facto dos produtos serem embalados CÁ significa que são empresas portuguesas, trabalhadores portugueses, a ganhar com isso.
[Também há produtos embalados CÁ e vendidos CÁ que não têm esse código, mas isso é outra conversa...]

Agora o problema é: e como é que eu sei se o produto é, ou não, PORTUGUÊS?

Infelizmente, os rótulos dos produtos alimentares nem sempre têm toda a informação necessária (para não dizer "exigida"), mas, na maior parte das vezes, dá para perceber a origem.

Os que eu mais detesto são aqueles que dizem "Produzido na U.E.".

É uma informação vaga, que nada me diz a não ser que foi feito na União Europeia. Não sei por quem, nem em que condições, nem... nada.

Depois, há aqueles que dizem: "Produzido em "Nome de País"", o que já é uma ajudinha.

Depois, há aqueles que podem ter, ou não, "Produzido por", mas têm o nome do fabricante, e respectiva morada, o que é excelente.

E depois, há aqueles que dizem "Produzido para".

Ora bem, para bom entendedor, "Produzido POR", ou "Produzido PARA", são duas coisas absolutamente distintas.

Ou seja... E agora? Como distinguir esses produtos?

Aqui, safa-nos a legislação que obriga os produtos de ORIGEM ANIMAL (ovos, lacticínios, carnes, peixes, marisco, e respectivas conservas) a terem uma marca especial.
Essa marca pode ser apenas "Marca de Identificação", e tem as duas letras referentes ao país de produção. No nosso caso: PT.
Ou então, pode ser uma "Marca de Salubridade", que também tem as duas letras do país de produção.

E por essa marca, conseguimos distinguir a origem dos nossos alimentos, pelo menos os de ORIGEM ANIMAL.

Como exemplo, trouxe-vos umas conservas de peixe/marisco.
Duas latas de Atum "Santa Catarina" (Posta em Azeite e Posta ao Natural), uma de Sardinhas em Tomate "ALVA", uma de Sardinhas em Azeite "Pingo Doce", e Lulas em Caldeirada "Pitéu".

(clicar nas imagens para aumentar)







Em relação aos códigos de barra destes produtos, aqui estão eles:


(Em cima, à esquerda: Atum Santa Catarina; em baixo, à esquerda: Lulas Pitéu; à direita: Sardinhas Pingo Doce.)

Como podem ver, todos começam em "560".

Em relação à informação sobre a produção, temos:

(em cima, Sardinhas Alva; em baixo: Lulas Pitéu.)

Aqui, vemos a diferença de toda a informação do Fabricante "A Poveira", assim como todos os dados de contacto, contra a "Produzido PARA", das Lulas Pitéu.
(Note-se que em Inglês está "Packed for" = "Embalado por")
Já o Atum "Santa Catarina" tem logo na frente da embalagem que é um Produto dos Açores, ao invés da Sardinha Pingo Doce que não tem nenhuma menção à origem.

Finalmente, observemos a Marca de Identificação/Salubridade:

(Da esquerda para a direita: Atum Santa Catarina; Sardinhas Alva; Sardinhas Pingo Doce, Lulas Pitéu).

Como podemos ver, os primeiros três produtos são de origem PORTUGUESA, enquanto que o último foi produzido em Espanha.

Não "desfazendo" em Nuestros Hermanos... Eu gosto de saber o que compro, o que consumo, e a sua proveniência.
E se puder comprar produto português, não compro produto estrangeiro.

Em relação aos Produtos de Origem Animal, temos, com a "Marca", uma ferramenta fácil para distinguir a sua proveniência.
Em relação aos Produtos de Origem Vegetal, temos de ir acreditando no que vemos nas plaquinhas dos hipermercados (nem sempre correctas), ou nalgumas embalagens ou caixas.
Mas é muito mais complicado, especialmente no que se refere a alimentos processados.

Aguardemos a melhoria dos rótulos e da legislação respectiva... Bem como das entidades certificadoras e fiscalizadoras...


Para saber um pouco mais:
http://www.tequalim.pt/img/marcas_salubridade_identificacao.pdf

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

E do Milho se fez...


... Pipocas!...



Há uns tempos atrás, comprei milho para pipocas numa feirinha de produtos regionais.
Era um milho miúdo, mas não resisti a comprá-lo, para mostrar à minha sobrinha nº7 como se fazem pipocas.

Chegadas a casa, arranjámos o tachinho mais velho que encontrámos e pusemos uma colher de óleo e um punhado de milho. Levámos o tacho ao lume e...
Passado um pouco, começámos a ouvir o pop-pop típico das pipocas.

A miúda, claro, disse: "Quero espreitar!...", e eu destapei um pouco o tachinho.
Para divertimento dela, uma pipoca saltou exactamente pela nesga e caiu-lhe à frente.

Lá deixámos as pipocas a fazer, e repetimos o processo.

Passado um bocadinho...
Já tínhamos as pipocas feitas e a garota a dizer:
"Vamos levar para a sala e fazer como no cinema..."

:D

É engraçado como de coisas tão simples se faz um entretém, e uma aprendizagem para os garotos... :)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Pés na Terra 2

A semana passada foi difícil.
Esta também não está a ser muito fácil...
Ultimamente, sinto-me desmotivada, "embruxada", cansada.
Desinspirada até de escrever e de fazer as coisas que gosto.

Ele é o carro a dar despesas, ele é as contas a aumentarem, ele é as mudanças no trabalho...
Uma série de coisinhas que não matam, mas moem...

E hoje, telefona-me a minha Mãe...

A dizer-me que a minha prima está, de novo, a ser operada por causa do tumor, que entretanto surgiu no pescoço... Ao qual foi operada na altura do Natal, mas que agora tem de ser intervencionada de novo devido a um problema na recuperação...
E cá estou eu, a rezar para que tudo lhe corra bem, e a pensar que os bens mais preciosos não são materiais...

Somos simples e leves grãos de areia nas dunas da Vida...